Histórico

    A proposta e origem do PROGRAMA DE MODELAGEM EM CIÊNCIAS DA TERRA E DO AMBIENTE - PPGM - resultaram do diálogo estabelecido entre grupos de professores das áreas de Ciências Exatas, Ciências Biológicas, Ciências da Saúde e Ciências Humanas da UEFS, dentro de uma concepção multidisciplinar, com vistas à interdisciplinaridade.

    Em sua concepção, buscava, na ligação dos saberes, a utilização de processos e metodologias inovadoras e mais adequadas para se chegar à interdisciplinaridade, meta desejada. O conceito de Ciências Ambientais, assumido, engloba tanto os estudos dos componentes físicos e biológicos do ambiente, quanto a intervenção do homem na condução de importantes processos e consequente modificação da paisagem. O corolário desta visão é que o PPGM vem buscando integrar a atuação de professores pesquisadores oriundos de diferentes áreas: Humanidades (sociologia, economia, administração e história), Ciências da Computação, Ciências Exatas (química, geologia, estatística, física e matemática), Ciências Biológicas (botânica, zoologia, ecologia e etnociências) e da Saúde (enfermagem), com vistas a promover uma discussão mais ampla, aprofundada e humanista, entre as diversas áreas do conhecimento, bem como, um aprofundamento teórico-metodológico das modelagens, com o auxílio de técnicas e métodos que utilizam softwares e outros recursos computacionais, que promovem a inovação no campo acadêmico e científico, com produção de aplicativos, agregando também ao programa uma destacada produção tecnológica, ao lado da produção científica. Ao iniciar suas atividades em 2006, o Programa tinha ingresso bianual e ofertava 08 vagas para acesso.

    Posteriormente, com a disponibilidade de melhor infraestrutura administrativa e para a pesquisa e com a ampliação do quadro docente, o acesso a discentes tornou-se anual, havendo um aumento gradativo de vagas, atendendo recomendação da Capes que alertou para a possibilidade de comprometimento de fluxo dos discentes, caso se mantivesse o ingresso bianual. Entre 2008 e 2010 o número de vagas oferecidas dobrou, tendo estabilizado em 16 vagas anuais. Vale ressaltar que, a partir de 2011, foram reservadas vagas para alunos estrangeiros, de pelo menos 20%. Esta modificação atendeu a crescente demanda do público externo interessado em ingressar no programa, resultado da inserção da UEFS em redes de cooperação internacional, ganhando assim maior visibilidade.

    Ao completar 10 anos de atividades em 2016, o PPGM obteve no processo de avaliação quadrienal pela Capes a ampliação de sua nota de 3 para a nota 4, demonstrando seu nível de amadurecimento e organização e que ao longo desse tempo houve uma contribuição significativa, com formação de mais de uma centena de mestres em Ciências Ambientais.